fbpx
Abram o espírito…  algumas garrafas e acompanhem-nos. - WINEBOX4YOU
2683
post-template-default,single,single-post,postid-2683,single-format-standard,theme-bridge,bridge-core-2.2.2,woocommerce-no-js,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,footer_responsive_adv,columns-4,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-20.9,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-6.4.2,vc_responsive
 

Abram o espírito…  algumas garrafas e acompanhem-nos.

As regiões vitivinícolas são espaços geográficos que, pela sua localização, imprimem aos seus produtos, neste caso às uvas e aos vinhos, características peculiares e especificas difíceis de obter noutro local.

O solo e o clima (que para mim são os dois factores que compõem o terroir, pois todos os outros são capazes de serem reproduzidos noutro lado qualquer), aliados às castas tradicionais, aos usos e costumes de cada região, são os factores que tornam cada espaço geográfico único o que se traduz depois na especificidade dos vinhos nele produzidos que criam assim uma tipicidade comum de uma determinada região.

Portugal, apesar de pequeno, devido ao seu relevo, proximidade do mar e diferentes solos, tem uma grande variedade de terroirs que, aliados à grande variedade de castas tradicionais e sabedoria dos seus viticultores e enólogos, produz vinhos muito diferentes no seu território sendo estes considerados dos melhores do Mundo pela sua tipicidade e subtileza.

As regiões vitivinícolas Portuguesas são:

Vinhos Verdes / Trás-os-Montes / Douro / Bairrada / Dão / Beira Interior / Távora-Varosa

Lisboa / Tejo/ Península de Setúbal / Alentejo / Algarve / Madeira / Açores

Cada uma delas com diferenças muito significativas, imprimidas pelos factores que referi atrás e que posteriormente tratarei com pormenor.

Independentemente de cada região os vinhos podem ser classificados em quatro níveis de qualidade:

Vinho de Mesa

Vinho que não se enquadra em nenhuma das classificações mencionadas a seguir, podendo ser produzido em qualquer região do país. Não podem ter no rótulo nenhuma referência a uma região de produção ou a variedades de uvas.

Vinho Regional

Vinho de qualidade superior ao vinho de mesa, produzido com, no mínimo, 85% de uvas provenientes da uma região especificada. Hoje existem muitos vinhos regionais de qualidade igual ou superior aos vinhos DOC

 

Vinho de Denominação de Origem Controlada (D.O.C.)

É a categoria de mais alto nível de qualidade e identifica o vinho produzido em uma região oficialmente delimitada, com uvas dali provenientes e sujeito a regras mais restritas, como as variedades de uvas utilizadas, o volume de produção, o método de vinificação, o teor alcoólico, o tempo de envelhecimento, etc.. (Equivale à AOC francesa, à DOC italiana e à DO espanhola)

Vinho de Qualidade Produzido em Região Determinada (V.Q.P.R.D.)

Para atender ao Mercado Comum Europeu, foi criada a nomenclatura Vinho de Qualidade Produzido em Região Determinada (V.Q.P.R.D.) que se refere aos VR e aos DOC.

Dos vibrantes e frescos VERDES aos surpreendentes ALGARVES, passando pelos majestosos DOURO, pelos elegantes DÃO, pelos complexos BAIRRADA, pelos modernos LISBOA e pelos equilibrados ALENTEJO, sem esquecer as outras regiões, iremos desafiá-los a conhecer, perceber e apreciar a peculiaridade dos Vinhos Portugueses, sempre harmonizando com as iguarias locais.

Com um pouco mais de conhecimento, vamos juntos explorar os vinhos e regiões de Portugal nesta coluna.

Cumprimentos vínicos.

José Paulo Teixeira



Open chat
Podemos ajudar?

Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Mais informação

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close